“Reforma” trabalhista valerá a partir de novembro

Apesar de todas as críticas dos movimentos sindicais, apesar de representar um ataque aos direitos dos trabalhadores, a chamada “reforma trabalhista” foi aprovada ontem, 11 de julho, em tumultuada sessão no Senado Federal. Ela passa a vigorar 120 dias após a sanção presidencial, ou seja, provavelmente em novembro.

Agora, mais do que nunca, os trabalhadores precisam se unir em torno dos seus sindicatos, legítimos representantes, porque o que for acordado nas negociações coletivas poderá prevalecer inclusive sobre a CLT. De uma coisa sabemos: esta Diretoria jamais assinará qualquer Acordo ou Convenção Coletiva que traga prejuízos aos trabalhadores.

Zé Baiano
Presidente do SOAC

 

Conheça as principais mudanças da reforma

TEMA  REFORMA TRABALHISTA
Acordo coletivo Qualquer acordo coletivo passará a sobrepor à lei, mesmo aquele que tiver menos benefícios.
Contrato temporário O prazo aumentará para 120 dias, prorrogáveis por mais 120.
Jornada diária Poderá ser de 12 horas com 36 horas de descanso, respeitando o limite de 44 horas semanais (ou 48 horas, com as horas extras) e 220 horas mensais.
Trabalhadores autônomos Empresas poderão contratar autônomos e, mesmo se houver relação de exclusividade e continuidade na prestação de serviço, não haverá vínculo empregatício.
Trabalho intermitente  O trabalhador é convocado sob demanda, com antecedência mínima de três dias, e recebe por hora trabalhada, não tendo garantia de uma jornada mínima.
Trabalho remoto  Tudo o que o trabalhador usar em casa será formalizado com o patrão via contrato, como equipamentos e gastos com energia e internet, e o controle do trabalho será feito por tarefa.
Banco de horas O banco de horas passa a ser negociado individualmente com a empresa. Nesse caso, o prazo para compensar as horas extras é reduzido para seis meses.
Intervalo para almoço O intervalo pode ser alterado por acordo ou convenção coletiva, podendo ser reduzido para 30 minutos, com compensação na jornada de trabalho.
Férias Poderão ser parceladas em até três vezes, sendo que nenhum dos períodos pode ser inferior a cinco dias corridos e um deles deve ser superior a 14 dias corridos.
Grávidas Permite o trabalho de grávidas e lactantes em ambientes de baixa ou média insalubridade.

Quem somos

Este é o website oficial do Sindicato dos Oficiais Alfaiates, Costureiras e Trabalhadores nas Indústrias de Confecções de Roupas e de Chapéus de Senhoras dos Municípios do Rio de Janeiro, Duque de Caxias e Nova Iguaçu (SOAC). Somos a entidade de representação sindical dos trabalhadores em confecção, representando cerca de 50 mil empregados na base.
A data-base da categoria é 1º de junho e nossos direitos são regidos pelas leis federais, estaduais e municipais e pela Convenção Coletiva de Trabalho (CCT) assinada entre nosso sindicato e o sindicato das empresas do setor.

Onde ficamos

SEDE

Rua Chaves Faria, 260/3º andar – São Cristóvão – Rio de Janeiro. CEP: 20.910-140. Telefax: (21) 2589-6430 / 2589-7621 e 3860-5110.

Horário de atendimento ao público: de 9h às 18h.

SUBSEDES

Duque de Caxias:
Av. Plínio Casado, 58 – sala 226. CEP: 25.020-010. Telefax: (21) 2671-2413.

Nova Iguaçu: Rua Dr. José Hipólito de Oliveira, 100 salas 211 e 212. CEP: 26.210-130. Telefax: (21) 2667-0363.

Sede Campestre: Estrada do Limoeiro, 285 – Limoeiro – Guapimirim, RJ.

Continue sócio

Mesmo demitido, você e seus dependentes não perdem direito aos benefícios que o sindicato oferece. Basta que continue a contribuir com a
mensalidade de sócio. O pagamento pode ser efetuado diretamente no Sindicato, nas Subsedes ou por boleto bancário, à sua escolha.